A HISTÓRIA POR TRÁS DO ÍDOLO

São muitos os ídolos que surgem a cada ano. Parece que as pessoas necessitam de um modelo que as ajude a seguir sua caminhada na vida. No mundo do esporte também é assim. Muitos admiram a vida de glamour dos grandes craques e sonham, mesmo sabendo ser impossível, com uma vida semelhante à deles. Usam roupas, cortes de cabelo, barba, tudo com o mesmo estilo; comportamentos também são imitados, numa expectativa de impressionar as pessoas à sua volta para ter, pelo menos, a ilusão de ser parecido com seu ídolo.

Mas é muito comum nos esquecermos que,  também esses ídolos têm sua vida e história particular. Eles também sofrem, passam por seus dramas, crises, encontros e desencontros. Recentemente o programa Globo Esporte veiculou uma história, além de bonita, muito comovente. A história que existe por trás do jogador Roger do Botafogo do Rio de Janeiro. Não é comum serem contadas as histórias de intimidade, principalmente com esse tipo de conteúdo. Nesse programa nos foi apresentada a linda filha do Roger, Giulia, cega desde que nasceu. Foi comovente ver a alegria dela quando, pela primeira vez, teve a oportunidade de sentir como se desenrolou um lance épico do seu pai numa partida de futebol. Através do tato, e com a ajuda da tecnologia, a menina Giulia teve condições de “ver” a jogada em três momentos, e como foi bonito ver a alegria e a admiração que ela tem pelo pai.

Imagino os momentos de incerteza que Roger e sua esposa passaram quando a filha nasceu e foi detectado o problema visual. Mas a fé não os deixou desistir, e a resignação com o que a vida lhes proporcionou, certamente contribuiu para que a caminhada não fosse e nem esteja sendo de amargura ou sofrimento. Pelo contrário, percebe-se uma criança amada, muito bem cuidada e com muita sensibilidade e alegria.

Esta é uma história singular entre tantas outras. E por que reflito sobre ela? Simplesmente para que a gente faça um exercício constante daqui em diante. Nossos ídolos não são deuses; eles são seres humanos, de carne e osso como qualquer um de nós. Em consequência, haverá dias em que não estarão bem, não farão uma boa exibição, e nem por isso merecerão nossa ira ou indignação. Convido o meu leitor a tentar compreender que todo ser humano com quem nos deparamos na vida, e não apenas nossos ídolos, tem uma história por trás daquilo que está visível, daquilo que se apresenta diante de nós. Muitas vezes um sorriso pode não significar que a pessoa está feliz. Por vezes uma pessoa pode se sentir isolada, mesmo estando no meio de uma multidão. Portanto, evitar as críticas, sem antes estar ciente da história que existe por trás daquela pessoa, com certeza é uma medida aconselhável e muito saudável. Agindo assim poderemos tornar a vida das pessoas bem mais leve, e contribuir para que haja um pouco mais de compreensão e felicidade em nossa sociedade.

Se você não viu o programa, veja aqui. E prepare-se para se emocionar.

Grande abraço.